O segredo da “dumpling skin”

Quem ama maquiagem e beleza, sobretudo aquele tipo de look com a pele iluminadíssima que está bombando no Instagram, certamente já ouviu falar da maquiadora Nam Vo. A americana, que tem mais de 200 mil seguidores na rede social, é a responsável pela criação do termo “dumpling skin”, que ela define como uma pele “hidratada, saudável e deliciosa como um dumpling”.

Em uma entrevista recente que deu às apresentadoras Jessica Matlin (Diretora de Beleza da Harper’s Bazaar US) e Jennifer Goldstein (Diretora de Beleza da Marie Claire US) no podcast Fat Mascara, Nam comentou sobre essa nova onda da pele iluminada. Para ela, o segredo para você arrasar na “dumpling skin” tem TUDO a ver – adivinha? – com um belo preparo da pele feito antes do make: “A pele naturalmente ama óleo. Então, para deixar a pele das minhas clientes bem hidratada e com viço, eu “aqueço” o óleo nas minhas mãos e vou pressionando no rosto. Repito esse processo diversas vezes. Depois, uso o Blotterazzi (esponjas que absorvem o óleo da Beauty Blender) para remover o excesso de óleo ao redor do nariz, na testa e no queixo. E enquanto o óleo é absorvido, aproveito para massagear a pele com o Refa Carat, para estimular a circulação” afirmou na entrevista.

Nam garante que, com essa preparação focada no cuidado com a pele e na hidratação, o glow virá de dentro, será muito mais natural e durará por muito mais tempo – e você nem vai precisar de tanto iluminador para isso (coincidência ou simplesmente convergência de ideias: eu já havia cantado essa bola há alguns meses quando escrevi esse post pro The Lolla 😉

“Como fiquei conhecida como a rainha da pele luminosa, uma das perguntas que mais me fazem é sobre o meu iluminador favorito. Todos os dias alguém me pergunta qual o produto que eu mais gosto para iluminar o rosto. E o que eu sempre respondo é: o iluminador é só a CEREJA DO BOLO, o toque final em um look que foi criado com foco no cuidado e na hidratação da pele. Você pode pegar o melhor iluminador do mundo, mas se aplicá-lo numa pele seca e mal cuidada, será um desastre!” afirma.

Nam Vo e a modelo Rosie Huntington-Whiteley, em foto para o Rose Inc.

Ao ser questionada sobre o que as mulheres mais erram na hora de se maquiar, Nam é enfática: o exagero na base e a escolha por produtos opacos e de alta cobertura. “Eu prefiro que as falhas da minha pele, como minhas manchas de melasma, sejam vistos, do que que pareça que eu tenho uma máscara cobrindo a minha pele e deixando-a sem brilho. Por décadas, nos acostumamos a ver o “look Studio Fix” (a base em pó de alta cobertura da MAC) dominando a cena, e as pessoas ficaram viciadas nele. E daí elas passaram a usar toneladas de pó para disfarçar uma simples espinha, e o que acontecia? Ficavam com mais espinhas. E usavam MAIS pó para disfarçar! Era um ciclo vicioso. Acho que a cobertura densa e opaca é boa para os palcos, ou para apresentadores de telejornais, mas não bonita para a vida real. Encher seu rosto de pó, sobretudo se você já passou dos 25 anos, não vai te favorecer” afirmou.

Questionada sobre o medo que algumas mulheres de pele oleosa tem do look glowy, ela deu uma receita infalível: faça uso da oleosidade natural da sua pele à seu favor! “A diferença entre uma pele oleosa e uma pele luminosa, é que a luminosa parece saudável, e dá a impressão que a sua pele bebeu um litro de água. Eu mesma tenho pele oleosa, e abraça minha característica; apenas tiro o excesso de óleo do canto do nariz e da testa, e deixo o resto brilhar. Não vou matificar a pele toda, apenas o que acho que precisa” afirmou.

Por fim, Nam deu um belo conselho para os maquiadores que estão iniciando sua carreira, e têm dúvidas sobre como apresentar o seu trabalho nas redes sociais: seja autêntico! “Quando eu comecei, decorava textos sobre os componentes dos produtos que usava, para falar isso nos vídeos. Era horrível, duro, não tinha nada a ver comigo! Então comecei a ser mais natural, encarar os Stories como se fosse um amigo com o qual eu estava conversando e dando dicas sobre make. Passei cada dia mais a encontrar minha voz, falando besteira, contando sobre os problemas que eu tinha naquele momento com a minha pele, e não tentando fazer tudo pareer perfeito. E isso foi o que conquistou o público: a minha honestidade e naturalidade. Por isso meu conselho é que você seja você mesmo, tenha consciência da importância da sua voz e simplesmente divirta-se!” Belo conselho não é mesmo?

Seguir:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *