A influencer que decidiu parar de receber produtos de beleza

“Recebidos do mês”, “Os 10 lançamentos de beleza que você PRE-CI-SA experimentar”, “20 achados de farmácia que valem a pena comprar”… Essas são apenas algumas das chamadas que vi ultimamente em vídeos, posts e Stories do Instagram, e que me fizeram refletir a respeito dos excessos no mundo da beleza, e quais as suas consequências tanto para o planeta quanto para nossa saúde mental. Enquanto dados da indústria da beleza apontam para um valor global que já ultrapassa os 530 bilhões de dólares, e novas marcas, linhas, produtos e “influencer collabs” parecem surgir a cada dia, alguns sites e personalidades do meio decidiram ir na direção oposta, e passaram a pregar o “anti-excesso”, gerando um grande – e importantíssimo – debate nas redes sociais.

Foto: Racked.com

Primeiro veio o “The Swag Project” do site Racked.com, que contabilizou todos os produtos, embalagens e gifts enviados para sua redação de beleza por 6 meses, divulgando tudo em uma série de artigos que abalou a indústria. Apenas uma amostra do exagero: o valor estimado pelas editoras do site é que todos aqueles produtos valiam aproximadamente $95.000. Sim, você não leu errado: NOVENTA E CINCO MIL DÓLARES EM PRODUTOS DE BELEZA. E isso em se tratando de um site relativamente pequeno – imagina o quanto uma revista de grande circulação não recebe!

Em relação às influencers, um dos casos que mais me chamou a atenção foi o da maquiadora canadense Samantha Ravndahl, que tem quase 1 milhão de assinantes em seu canal no Youtube, aonde publica tutoriais e reviews de produtos desde 2013. Em novembro do ano passado, Samantha anunciou que não iria mais aceitar envios de produtos de beleza – os famosos “PR packages”, que dão origem aos intermináveis “vídeos de recebidos” no nossos feeds e Stories.

Samantha Ravndahl

No vídeo em que, muito honestamente, anuncia essa decisão, Samantha dá alguns dados impressionantes sobre o impacto que esse excesso de produtos estava tendo em sua vida: “Em uma semana “fraca”, recebia de 10 a 15 pacotes de produtos, mas algumas semanas cheguei a receber 40. Meu nome constava na lista de 45 marcas de produtos de beleza, que me mandavam todos os lançamentos e linhas especiais. Eu moro numa casa com mais 8 pessoas, e a quantidade de lixo que eu estava produzindo com esses “recebidos” era muito maior do que a quantidade que as outras 8 pessoas geravam. Cheguei ao ponto de ter que pagar para uma empresa vir coletar as embalagens, pois o serviço municipal de reciclagem passava apenas 1x na semana, e as caixas desses “recebidos” estavam “entupindo” a minha garagem” conta no vídeo.

Além disso, Samantha comenta sobre o absurdo de embalagens e brindes totalmente desnecessários que vinham com cada entrega: “Há 6 anos atrás, quando comecei a filmar essas resenhas, recebia os produtos em uma caixa simples e pronto. Hoje em dia, com a revolução na indústria e o aumento da concorrência, as marcas passaram a disputar a atenção dos influenciadores com embalagens e brindes cada vez mais malucos e exagerados. Já recebi inúmeras caixas com telas que exibem vídeos – e que dão um super trabalho para serem recicladas – já recebi chapéus, meias, mochilas, balões, camisetas, shakers, infláveis gigantescos… Coisas que não têm a menor utilidade e que eu acabava descartando.”

O vídeo em que Samantha Ravndal anuncia que não quer mais receber produtos de beleza

Outro motivo que a fez tomar essa decisão foi a sua impressão de que o conteúdo gerado pela interminável lista de “recebidos da semana” NÃO ERA UM CONTEÚDO RELEVANTE E INTERESSANTE para sua audiência: “Todas as vezes que um novo produto era enviado para mim, eu olhava para aquele pacote e pensava: “Bom, já que está aqui e é um produto novo, é melhor eu testar e filmar uma resenha sobre ele”. E esse NÃO ERA o tipo de conteúdo que eu, como consumidora de beleza, gostaria de ver. Além disso, aquela quantidade absurda de lançamentos não estava mais me empolgando, não parecia nenhuma novidade, e não era condizente com a realidade do consumidor que compra produtos de beleza. Sentia que aquele excesso estava me afogando e acabando com a minha vontade de criar e com a minha empolgação sobre os produtos de beleza, que foi o que deu origem ao meu canal”.

Achei muito corajosa essa iniciativa de Samantha e me peguei pensando em todo esse conteúdo que a gente, enquanto consumidora e espectadora, muitas vezes consome sem pensar. Você realmente se interessa em ver a quadragésima nona linha de novas paletas de sombra incríveis – e muitas vezes carésimas – recebidas por aquela blogueira de beleza? Sente que isso traz algum conteúdo relevante para sua vida, ou apenas aumenta a sua ansiedade por querer consumir tudo aquilo?

Acredito que a indústria está tão saturada que realmente não existe mais limites nos lançamentos e envios de presentes. Tudo é excesso, e tudo é passageiro: afinal, semana que vem será um novo lançamento, uma nova linha, uma nova “collab”, a inundar o nosso feed. Será que isso vai continuar a nos empolgar?

Eu, como consumidora e uma pequena criadora de conteúdo de beleza, sempre me policio para consumir apenas o que me empolga, me encanta, e faz sentido para minha vida, minha pele, meus cabelos, enfim, para minha visão de beleza como um todo. E com esses produtos que seleciono e compro, crio um conteúdo que me inspira, e que, espero, inspire você também 🙂

Que tal então a gente parar para repensar o que estamos de fato consumindo – seja em termos de produto ou de conteúdo?

Seguir:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *